Sobre

Este site tem como objetivo oferecer recursos, principalmente em áudio, sobre a fé, a cosmovisão e a piedade reformada.

Recent tags

Lição 2 – Uma breve história da catequese [CAT-101]

Lição 2 – Uma breve história da catequese [CAT-101]

Olá seja bem-vindo, eu sou o pastor Elienai Batista, e este é o curso: Introdução à catequese.

Esta é a lição de número 2, e nela veremos: Uma breve história da catequese.

Na lição anterior, aprendemos que nos tempos do Novo Testamento o termo catequese era usado para referir-se à instrução oral. Agora, vejamos como esse termo foi usado posteriormente.

Vamos começar falando sobre a época dos Pais da Igreja

Nos primeiros dois séculos da Igreja, o termo catequese foi sendo usado de maneira cada vez mais específica para referir-se a instrução destinada àqueles que desejavam o batismo, ou seja, os catecúmenos.

Os catecúmenos eram aqueles convertidos ao cristianismo que frequentavam os cultos aos domingos, e que estavam recebendo instrução para serem batizados, estavam sendo catequizados. Muitas vezes famílias inteiras eram catequizadas.

Geralmente, essa instrução era baseada no Credo, nos Dez Mandamentos e na Oração Dominical.

Já na época dos Pais da Igreja surgiram várias preleções catequéticas e também manuais sobre a catequese. Agostinho, por exemplo escreveu “A instrução dos catecúmenos” e também o “Euchiridion”. Já Gregório de Nissa escreveu a “Grande Catequese”. Além disso, temos o Didaqué um antigo documento da Igreja usado para a instrução de novos membros.

No entanto, especialmente após o quarto século (o século de Constantino), a catequese começou a declinar por várias razões, entre elas: a institucionalização das igrejas, a corrupção entre os bispos, o formalismo e a mistura com o paganismo.

Agora voltemos a nossa atenção para a Idade Média

Na Idade Média, surgiram manuais confessionais que procuravam explicar o Credo, os Dez Mandamentos e a Oração do Senhor.

Muitos deles já usavam a metodologia de perguntas e respostas para ensinar os principais pontos da doutrina cristã.

No entanto, principalmente a partir do século VI, a catequese foi sendo gradualmente substituída pelo sistema sacramental e por prática litúrgica paganizada.

Uma das consequências foi que muitas pessoas que se confessavam cristãs, sabiam muito pouco sobre o significado e as implicações de tal confissão. Por isso, houve um declínio tanto na doutrina quanto na piedade.

Olhemos agora para a época da Reforma

Nessa época muitos catecismos foram elaborados para ajudar na instrução dos que desejavam ingressar à igreja e na instrução de jovens e crianças.

Para os reformadores, escrever catecismos e promover a catequese para a instrução de novos membros e dos filhos da aliança, era um retorno à prática antiga da igreja, que naquele momento havia sido abandonada pela Igreja Romana.

João Calvino fala dessa prática antiga e bíblica, nas Institutas da Religião Cristã (no Livro IV, Capítulo 19, Seção 4), ali Calvino nos diz:

Antigamente existiu na Igreja o costume de os filhos dos cristãos, depois que haviam crescido, fossem apresentados diante do bispo, para que cumprissem aquele dever que era exigido dos adultos que se ofereciam ao batismo. Pois estes se assentavam entre os catecúmenos até que, devidamente instruídos nos mistérios da fé, podiam fazer confissão de sua fé perante o bispo e o povo. Portanto, aqueles que haviam sido iniciados pelo batismo quando crianças, já que não haviam então se desincumbido diante da Igreja em confissão de fé, ao final da infância, ou na entrada de sua adolescência, eram de novo apresentados pelos pais e examinados pelo bispo segundo a fórmula de catecismo que tinham então por certa e comum.

Lutero também tratou sobre isso em uma obra de 1526, onde fala dos catecúmenos na Igreja antiga como aqueles “que aprendiam a fé antes de serem batizados.”

Lutero também disse que:

Catecismo é instrução ou ensino cristão que deve estender-se, após o batismo, a todas as crianças e aos jovens e adultos sem preparo na doutrina cristã, pois cada cristão precisa necessariamente conhecer o catecismo.

Foi por causa dessa eque Lutero elaborou dois catecismos, chamados de Catecismo Maior e Catecismo Menor. Segundo ele, a finalidade desses catecismo era servir de “instrução a crianças e pessoas simples.

Referindo-se ao conteúdo desses catecismos Lutero disse:

Todo cristão, necessariamente, o deve conhecer. A quem o ignora não se poderia contar entre os cristãos, nem admiti-lo a qualquer sacramento.

Sua perspectiva sobre os benefícios da catequese pode ser percebida nessas palavras. Lutero disse:

Levei a efeito uma mudança tal que, nos dias de hoje, uma menina ou um menino de quinze anos de idade sabe mais a respeito da doutrina cristã do que sabiam todos os teólogos das grandes universidades em tempos antigos.

Assim observamos que historicamente a catequese era voltada para dois grupos:

  • Os filhos da aliança, a fim de prepará-los para a pública profissão de fé;
  • E adultos que desejavam se tornar membros da igreja.

Calvino faz referência e isso em uma carta, quando se refere ao catecismo como uma “fórmula comum de instrução para as crianças e os ignorantes.

À luz de que acabamos de ver, notamos que na Reforma, quando houve um retorno às Escrituras, houve um retorno àquela preocupação de dar aos filhos da aliança e àqueles que desejavam tornar-se membros da igreja, a instrução necessária para que pudessem professar a sua fé com entendimento.

Foi, por isso, que os reformadores desenvolveram catecismos e voltaram à prática da catequese.

Conclusão:

Portanto, ao ser catequizado, você não está lidando com algo novo, e tão pouco com algo de cunho exclusivamente romanista. Na verdade está tendo o privilégio de desfrutar algo que é ensinado nas Escrituras, uma prática antiga da igreja, que foi pela Reforma.

Encerro essa lição lembrando a você que o esboço da lição e o questionário se encontram no site elienaibatista.com.

Espero encontrá-lo novamente na lição 3, na qual falarei sobre o conteúdo da catequese.

Até lá! E que o Senhor te conceda graça, misericórdia e paz.

 

* Após concluir a lição, não esqueça de fazer o exercício na página da lição.

** Se tiver alguma dúvida, faça sua pergunta no nosso grupo de discussões no Facebook.



Edição de áudio: Abner F. B. Batista.

Dúvidas

Caso você tenha alguma dúvida sobre esta lição, pode usar o nosso grupo no Facebook para fazer sua pergunta. Porém, só responderei quando me for possível. Para isso, clique aqui e peça acesso ao grupo, escreva sua pergunta e link meu nome dentro do grupo. Quando puder responderei.

Bibliografia

BRUGGEN, J. van. Anotações ao Catecismo de Heidelberg. Tradução J. C. Dees.
LOPES, Augustus Nicodemus. Ensinar e aprender em Paulo. Fides Reformata XIII, no 2 (2008).
ELWELL, Walter A. Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã. Vida Nova.
CALVINO, João. Cartas de João Calvino. Cultura Cristã.
TRUEMAN, Carl. Imperativo Confessional. Editora Monergismo.
MCGRATH, Alister E. Teologia Sistemática, histórica e filosófica. Sheed Publicações
Regimento das Igrejas Reformadas do Brasil.
ROBERTSON, Palmer. Cristo dos Pactos.

Pr. Elienai B. Batista

Ministro da Palavra e dos Sacramentos atualmente trabalhando em um projeto missionário ligado ao Centro de Literatura Reformada (CLIRE), e na plantação de uma Igreja Reformada em Paulista – PE.

Related posts
There is 1 comment on this post
  1. Mauricio de Almeida Soares
    setembro 17, 2017, 10:32 pm

    boa noite irmão. abençoada a série sobre catequese.
    queria o curso sobre as institutas.
    ab

Leave a reply

%d blogueiros gostam disto: