Sobre

Este site tem como objetivo oferecer recursos, principalmente em áudio, sobre a fé, a cosmovisão e a piedade reformada.

Recent tags

Lição 3: O lugar em que o Catecismo de Heidelberg foi escrito

Lição 3: O lugar em que o Catecismo de Heidelberg foi escrito

Olá Débora, seja bem-vinda à nossa terceira lição.

Eu sei que algumas dúvidas surgiram, mas nas próximas aulas creio que elas serão respondidas.

Oração.

Débora, como você já sabe, nós estamos observando alguns aspectos históricos sobre o Catecismo de Heidelberg. Por isso, nesta terceira lição veremos algo sobre o lugar em que o Catecismo de Heidelberg foi escrito.

Como o próprio nome do catecismo indica, ele foi escrito na cidade de Heidelberg.

A cidade de Heidelberg ficava no Palatinado Renano, um território que se localiza à margem ocidental do rio Reno. O Palatinado Renano também era conhecido como Baixo Palatinado.

O Palatinado era um território da Alemanha governado por um príncipe eleitor. O príncipe era assim chamado por ser um dos membros do Colégio Eleitoral do Sacro Império Romano-Germânico. Este colégio eleitoral era constituído de 6 a 10 príncipes que escolhiam o Imperador do Sacro Império Romano-Germânico.

O governante do Palatinado era um desses príncipes eleitores, e como o Palatinado Renano era um dos maiores territórios alemães, ele ocupava uma importante posição.

A cidade de Heidelberg era a capital do Palatino Renano, e geralmente o local onde vivia o príncipe eleitor.

Para falar sobre como a Reforma chegou em Heidelberg, quero mencionar algo que aconteceu antes disso. Você lembra que Lutero havia pregado suas 95 teses sobre as indulgências na porta da igreja do castelo de Wittenberg em 31 de outubro de 1517?

Diante da repercussão das 95 teses, o Papa Leão X contactou Gabriel della Volta, o responsável pelos Agostinianos Eremitas, e pediu que lidasse com esse problema, Lutero, e sendo ele identificado como um herege, fosse excomungado. Della Volta, por sua vez, delegou essa responsabilidade a Johann von Staupitz, o vigário da congregação alemã dos agostinianos.

Staupitz, no entanto, mantendo por Lutero uma grande consideração (ele era o melhor amigo e mentor espiritual de Lutero), convidou-o a falar sobre a nova teologia evangélica de Wittenberg no encontro da Ordem Agostiniana (que acontecia de 3 em 3 anos), encontro que seria realizado na cidade de Heidelberg em abril de 1518. Staupitz exortou Lutero a que em vez de debater questões controversas, apresentasse suas opiniões sobre o pecado, o livre arbítrio e a graça.

Para a ocasião Lutero preparou uma série de 40 teses que descrevem sua teologia, a fim de que fossem avaliadas por seus irmãos agostinianos. As 40 teses foram divididas em 28 teses sobre teologia e 12 sobre filosofia. Nelas Lutero contrastou a “teologia da cruz” (cristocêntrica), com a “teologia da glória”, a teologia dos escolásticos medievais. A reunião não se deu na própria abadia dos agostinianos, mas na sala de conferências da Faculdade de Artes.

O Príncipe Eleitor do Palatinado Renano, na época era Ludovico V. Ele governou o Palatinado de 1508 a 1544. Era um príncipe romanista, mas que acabou por favorecer o progresso do luteranismo no Palatinado.

Seu irmão, Frederico II, governou de 1544 a 1556. Com isso, o Palatinado assumiu cada vez mais uma posição luterana.

Assumiu em lugar de Frederico II, seu sobrinho, Otto Henrique, que governou o Palatinado pelo curto período de 1556 a 1559. Ele promoveu diversas reformas no Palatinado, inclusive na Universidade de Heidelberg e se tornou um defensor dos protestantes no Sacro Império Romano-Germânico.

Mas Otto Henrique, misturou na Universidade de Heidelberg, diversas personalidades que tinha diferentes posições quanto a Reforma. Havia luteranos mais extremados, luteranos da linha de Filipe Melanchton, que eram mais moderados, seguidores de Zwinglio e também os reformados (calvinistas). Isso fez da Universidade de Heidelberg um barril de pólvora. Por conta disso, aconteceram vários conflitos.

Em 1559, o príncipe Otto Henrique, morreu repentina e inesperadamente. Como não tinha filhos, assumiu em seu lugar, Frederico III, chamado de O Piedoso. Ele governou o Palatinado Renano de 1559 a 1576.

Ele se tornou Príncipe Eleitor aos 44 anos. Era casado com uma princesa chamada Maria, uma luterana, que se casou com ele sob a promessa de que ele leria a Bíblia todos os dias e estudaria os escritos de Lutero. O que Frederico III, cumpriu cabalmente.

Ao chegar a Heidelberg, Frederico III, logo teve de lidar com os conflitos existentes entre os luteranos mais extremados e os reformados. A controvérsia girava em torno da Ceia do Senhor. Os luteranos diziam que Cristo estava presente em, com e sob a substância do pão e do vinho sem transformá-las como diz a doutrina romanista. Essa doutrina luterana é chamada de consubstanciação. Já os reformados diziam que a presença de Cristo na ceia é espiritual.

As duas principais figuras desses conflitos foram: o pastor luterano, Dr. Tilemann Hesshus, que era muito influente em Heidelberg, sendo o responsável pelo seminário teológico de Heidelberg, o Colégio da Sabedoria, e o diácono Guilherme Klebitz, que era um dos seminaristas do Colégio da Sabedoria. O ápice do conflito se deu, mesmo após os pedidos de Frederico III por moderação, em 1560 em uma celebração da Ceia em que esses dois homens brigaram diante de uma congregação horrorizada. Resultado, Frederico III, despediu os dois.

A partir daí, Frederico III, buscou meios para resolver este conflito, e buscar unidade no Palatinado. Com este objetivo pediu conselhos a Filipe Melanchton.

Enquanto aguardava a resposta de Melanchton, Frederico III, resolveu ele mesmo estudar as Escrituras para obter respostas para aquela controvérsia. Ele se afastou de tudo para dedicar-se a essa busca pela verdade.

A resposta de Melanchton chegou e recomendava moderação, e que Frederico assumisse uma posição doutrinária segura sobre a Ceia do Senhor. Quanto mais Frederico III estudava a Bíblia, mais ficava inclinado a posição reformada sobre a Ceia.

Em junho de 1560, foi realizado em Heidelberg um debate, a pedido do genro de Frederico III, que era luterano e que queria evitar que seu sogro se voltasse para a posição reformada. Vieram teólogos luteranos, e Frederico nomeou dois debatedores reformados que eram da Universidade de Heidelberg. Os debates ocorreram por cinco dias, no mesmo salão onde 42 anos antes, Lutero apresentara suas 40 teses no Debate de Heidelberg.

Após o debate, Frederico III ficou ainda mais convencido de que a posição reformada quanto à Ceia, era o que a Bíblia ensinava. Por isso, resolveu promover a elaboração de um catecismo que unisse o povo do Palatinado em uma só fé.

Débora, eu sei que foram muitas informações até aqui. Mas espero que isso tenha lhe ajudado a entender o contexto histórico de Heidelberg na época em que o catecismo foi elaborado. Esse contexto histórico nos ajuda a entender porque o Catecismo de Heidelberg é tão simples e objetivo. Com ele esperava-se promover a unidade dos cristãos do Palatinado Renano na mesma fé. Assim sendo há um cuidado quanto à linguagem e uma ênfase naquilo que é essencial.

Se você puder, não só ouça o áudio, mas leia o texto que está disponível no site: elienaibatista.com. E se você quer estudar mais sobre o assunto, acesse o texto desta lição lá no site, e clique na aba “informações”. Eu recomendei algumas obras que podem ajudar no estudo das questões históricas relacionadas ao Catecismo de Heidelberg.

Na próxima lição falarei sobre: A autoria e a data do Catecismo de Heidelberg.

Até a próxima lição! E que o Senhor te conceda graça, sabedoria e perseverança em seus estudos.

Ficha Técnica

Conteúdo e voz: Elienai B. Batista.
Edição de áudio: Abner F. B. Batista.

Bibliografia recomendada

HALSEMA, Thea van. Três homens chegaram a Heidelberg. Recife: CLIRE, 2013.
BIERMA, Lyle D.. Introdução ao Catecismo de Heidelberg. São Paulo: Cultura Cristã, 2010.

Dúvidas

Caso você tenha alguma dúvida sobre a pregação, pode usar o nosso grupo no Facebook para fazer sua pergunta. Porém, só responderei quando me for possível. Para isso, clique aqui e peça acesso ao grupo, escreva sua pergunta e link meu nome dentro do grupo. Quando puder responderei.

LiçõesTítuloDuraçãoTamanhoData
ApresentaçãoApresentação do Curso Estudos no Catecismo de Heidelberg.00:03:413,71 MB04/10/2017
Lição 001O que é um catecismo e como usá-lo.00:10:129,66 MB04/10/2017
Lição 002A época em que o Catecismo de Heidelberg foi escrito.00:10:319,94 MB05/10/2017
Lição 003O lugar em que o Catecismo de Heidelberg foi escrito.00:11:2410,7 MB16/10/2017
Lição 004A autoria e data do Catecismo de Heidelberg.00:10:089,62 MB18/10/2017
Lição 005Os objetivos do Catecismo de Heidelberg.00:09:188,85 MB20/10/2017
Lição 006A estrutura do Catecismo de Heidelberg.
Lição 007O esboço do Catecismo de Heidelberg.
Lição 008As características do Catecismo de Heidelberg.
Compartilhe!
Pr. Elienai B. Batista

Elienai B. Batista

Verbi Dei Minister

Ministro da Palavra e dos Sacramentos atualmente trabalhando em um projeto missionário ligado ao Centro de Literatura Reformada (CLIRE), e na plantação de uma Igreja Reformada em Paulista – PE.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 10 outros assinantes

Pr. Elienai B. Batista

Ministro da Palavra e dos Sacramentos atualmente trabalhando em um projeto missionário ligado ao Centro de Literatura Reformada (CLIRE), e na plantação de uma Igreja Reformada em Paulista – PE.

Related posts
Leave a reply