Sobre

Este site tem como objetivo oferecer recursos, principalmente em áudio, sobre a fé, a cosmovisão e a piedade reformada.

Recent tags

Dia do Senhor 02 – 1 João 1.5-10 [Pregação]

Dia do Senhor 02 – 1 João 1.5-10 [Pregação]

Amados irmãos em nosso Senhor Jesus Cristo,
Para aqueles que estão em Cristo Jesus há o consolo de que não pertencem a si mesmos mas ao seu fiel Salvador Jesus Cristo. O consolo de que todos os nossos pecados foram perdoados por Ele, e de que Ele nos guarda de tal maneira que faz com que todas as coisas cooperem para o nosso bem.

Mas o que é preciso saber para participar deste consolo que há em Cristo Jesus? A resposta da pergunta nº 2, trás três exigências. Em primeiro lugar: preciso saber como são grandes meus pecados e miséria; em segundo lugar: de que modo sou liberto de todos os meus pecados e miséria; e em terceiro lugar, como devo ser grato a Deus por uma tão grande libertação.

Este é o conhecimento necessário para a salvação. Por isso, o Catecismo de Heildeberg possui exatamente essa divisão. Assim, quando chegamos nesta manhã à doutrina do dia do Senhor 02, nossa atenção é direcionada ao conhecimento de nossa miséria e pecado.

Notamos que essa primeira parte do catecismo é pequena. Apenas 3 domingos tratam sobre nossa miséria e pecados. Isso não quer dizer que não é um conhecimento importante. Pelo contrário, é um conhecimento indispensável à salvação. Só aquele que se vê destituído de justiça própria e que reconhece sua miséria espiritual, pode voltar-se para Cristo com arrependimento e fé. Mas este conhecimento não traz consolo, só desespero. Por isso, o Catecismo de Heidelberg dedica muito mais domingos à salvação e à gratidão.

Essa parte do ensino bíblico, refletido aqui no catecismo responde à pergunta: Jesus Cristo veio para nos salvar do quê? A resposta bíblica é: dos nossos pecados. Então se alguém será salvo por Ele, em primeiro lugar tal pessoa terá de reconhecer seus pecados.

A Bíblia chama isso de arrependimento, o qual podemos descrever assim: O pecador reconhece que é mesmo um pecador, isto é, que ele é alguém cuja vida está em conflito com a vontade e Deus, que seu coração é inclinado a odiar a Deus e ao próximo, que ele é merecedor do juízo eterno de Deus e que não há nada que possa fazer por si mesmo. Então sentindo-se miserável, o pecador corre para Cristo. Sem isto, não há salvação.

As bem-aventuranças do evangelho são para os humildes de espírito, para os que choram por causa de seus pecados. Isto quer dizer que se alguém não tiver de fato reconhecido sua condição de completa miséria espiritual diante de Deus, se arrependido dos seus pecados e do próprio fato de ser pecador, não está salvo.

Esse reconhecimento se dá inicialmente em nossa conversão. Mas também é algo que deve acompanhar toda a nossa vida. É isso que nos ensina o texto de 1 João 1.5-10, que lemos nesta manhã.

Nessa epístola, o apóstolo João escreve às igrejas de Cristo espalhadas no mundo inteiro. E no começo de sua carta ele escreve sobre a comunhão com o Pai e com o Filho. Escreve sobre a mensagem que os apóstolos ouviram de Jesus Cristo: “Deus é luz, e não há nele treva nenhuma”.

Essas palavras apontam para a absoluta perfeição de Deus, nEle não há pecado, erro, defeito ou nada semelhante. Ele é luz, Ele é perfeitamente Santo, Verdadeiro e Justo. Todas as suas Palavras e Obras são perfeitas.

À luz da perfeição de Deus, João conclui que aqueles que dizem ter comunhão com Deus, mas vivem em trevas, isto é, em pecado, estão mentindo (v.6). Por quê? Porque ter comunhão é compartilhar algo. E uma vez que “Deus é luz” não é possível ter comunhão com Ele e viver em trevas. E notem que viver em trevas significa odiar a Deus e ao próximo, e andar na luz significa amar a Deus e o próximo. É isso que Deus exige, é isso que Ele ensina na Sua santa Lei.

Todos são chamados a andar na luz, mas tudo que o pecador pode encontrar em seus caminhos são trevas. Assim, vivendo em trevas, o homem está separado da vida de Deus, não pode desfrutar da comunhão com Deus, porque Deus é luz. Esta é a situação de toda pessoa que vem a este mundo – trevas. Ignorância e corrupção espiritual que afastam o homem de Deus. Por isso, a salvação não é uma questão do homem ir a Deus, mas em Deus vir até o homem. Se a salvação não fosse pela graça, não haveria salvação. A condição espiritual do homem requer a graça de Deus.

Em contraste a isso, há muitas pessoas que estão dispostas a reconhecer que Jesus é o Filho de Deus e outras coisas a respeito dEle, mas não estão dispostas a reconhecerem a si mesmas como pecadoras. Tais pessoas muitas vezes se aproximam do evangelho, como se Jesus fosse apenas um tipo de complemento. Então logo dizem pertencer a Jesus, mas não estão dispostas a reconhecer seus pecados.

Essas pessoas, até consideram ofensivo quando alguém lhes fala sobre pecado. Elas tem um conceito muito bom a seu próprio respeito.

Mas segundo a Palavra de Deus, quando uma pessoa age assim, está enganando a si mesma e a verdade não está nela.

Agora precisamos notar outra coisa, viver na luz, não quer dizer que não pecamos. Notem o que o apóstolo diz no final do v.7: “o sangue de Jesus Cristo nos purifica de todo pecado”. Portanto, mesmo vivendo na luz ainda temos de lutar contra o pecado em nossa vida.

No v. 8 claramente se diz que não podemos dizer que não temos pecado. A Escritura não reconhece a ideia de perfeição, no sentido de que não pecamos mais, como alguns querem crer. Mesmo depois da conversão, mesmo depois de Cristo perdoar nossos pecados, ainda temos de lutar contra o pecado em nossa vida. Mesmo depois da conversão, ainda há pecado que precisa ser confessado e deixado.

Por isso, hoje quando ouvirmos a forma para a celebração da Santa Ceia, quando ouvirmos sobre os que são recebidos à mesa, nos será dito: “apesar dos muitos pecados e fraquezas que lhe restam contra sua vontade”.

Isso é um lembrete aos participantes de que a Santa Ceia não é para os perfeitos, para os que não tem pecado, pois se assim fosse, ninguém poderia participar. A Santa Ceia é para os que reconhecendo seus pecados, arrependidos buscam de Cristo o perdão e procuram mostrar gratidão a Deus por uma vida dedicada a Ele em obediência aos seus Mandamentos.

Então, mesmo agora, andando na luz ainda precisamos reconhecer nossos pecados. Precisamos reconhecer a gravidade do pecado em nossa própria vida. Precisamos reconhecer nossa própria miséria.

Como podemos saber disso? Pela Lei de Deus. Ela nos mostra como um espelho qual a nossa real situação. Ela nos mostra o que Deus exige que cumpramos perfeitamente, pois Ele é luz. Então logo descobrimos que não podemos cumprir perfeitamente os seus mandamentos, e que não cumpri-los é pecado, seja por comissão ou omissão.

Assim notamos a importância da leitura da lei no culto a cada domingo. Essa leitura não é algo vazio e sem valor, mas visa nos levar ao arrependimento.

O culto é um diálogo pactual entre o Deus que é luz e aqueles que professam andar na luz. Na leitura da Lei Deus nos fala, nos mostra suas exigências, então vemos tal como em um espelho quão grandes e muitos são os nossos pecados.

A Lei nos mostra nossos pecados e o ponto seguinte deve ser nossa resposta. Reconhecendo a soberania de Deus em nos ordenar obedecer aos Seus Mandamentos, reconhecer nossos pecados e miséria, e nos arrepender buscando sua misericórdia.

Então se você ouve a leitura da lei e no final diz a si mesmo: “Eu não tenho nenhum pecado de que me arrepender”, você está se fazendo igual a Deus, dizendo que não tem pecado. E mais, Deus diz que você é um pecador e você O faz mentiroso quando diz que não tem do que se arrepender.

Assim a cada domingo quando ouvimos a leitura da Lei, como devemos responder? Temos de ouvir com toda reverência, utilizando a Lei como um espelho por meio do qual examinamos nossa vida.

Então vendo quais são nossos pecados e não somente as coisas externas, mas principalmente as do coração, temos de reconhecer que eles de fato, são pecados. Temos de reconhecer nossos muitos pecados, temos de vê-los como são: ofensas contra o Deus Santo. Temos de lamentar nossa própria miséria e reconhecer que só há salvação em Cristo.

João nos ensina que precisamos confessar nossos pecados, isto quer dizer que precisamos dizer a respeito de nossos pecados o mesmo que Deus diz a respeito deles. Não devemos tentar justificá-los, ou escondê-los, temos de confessá-los. Não devemos falar vagamente sobre eles, mas reconhecer quando e quais foram nossos pecados.

Uma vez que confessamos nossos pecados e miséria, temos a promessa de Deus de que o sangue de Jesus nos purifica de todo pecado.

A Escritura nos lembra que Deus é Fiel e Justo para nos perdoar os pecados, isso fala de uma dívida que é paga, Ele é Fiel e Justo para nos purificar de toda injustiça, isso nos fala de uma limpeza. Deus cumpre Sua Palavra Ele é Fiel e Justo.

Então, a Escritura nos diz que devemos reconhecer que pecamos. Mas também, nos mostra como lidar com nossos pecados. Não há outro caminho se não o caminho do arrependimento, o caminho de ir a Cristo e buscar seu perdão.

Então nessa manhã, quando nos voltamos para o ensino do Dia do Senho 02, e quando nos preparamos para participar da Ceia do Senhor hoje à noite, devemos nos perguntar: Como eu tenho agido em relação aos meus pecados? Eu tenho feito exame constante de meus caminhos? Eu tenho confessado meus pecados? Eu tenho buscado o perdão e a purificação que Cristo concede?

Amados irmãos, como nos diz a liturgia da Santa Ceia, devemos ter consciência dos nossos pecados e da maldição de Deus para nos detestar e nos humilhar perante Deus, porque a ira dEle contra o pecado é muito grande. Precisamos reconhecer que não guardamos perfeitamente a Lei de Deus, que não amamos a Deus nem ao próximo como Deus nos ordena, mas pelo contrário, por natureza somos inclinados a odiar a Deus e ao nosso próximo.

Nossa vida tem de ser marcada pelo constante reconhecimento de nossos pecados. Arrependimento é algo para vida toda. Vivamos portanto, uma vida de arrependimento, buscando nossa purificação no sangue de Cristo, certos de que Deus em Cristo perdoa todos os nossos pecados.

Amém!

Local e data

Sermão pregado à Igreja Reformada em Paulista no culto matutino do dia 8 de janeiro de 2017.

Ficha Técnica

Conteúdo e voz: Elienai B. Batista.
Edição de áudio: Abner F. B. Batista.

Dúvidas

Caso você tenha alguma dúvida sobre a pregação, pode usar o nosso grupo no Facebook para fazer sua pergunta. Porém, só responderei quando me for possível. Para isso, clique aqui e peça acesso ao grupo, escreva sua pergunta e link meu nome dentro do grupo. Quando puder responderei.

Dia do SenhorTextoTítuloDuraçãoTamanhoData
DS 01Sl 16O SENHOR é refúgio, na vida e na morte para aqueles que nEle confiam00:54:2237,6 MB25/09/2017
DS 021 Jo 1.5-10O conhecimento de nossos pecados00:29:4527,5 MB02/10/2017
DS 03Sl 51.1-6Um pecador arrependido confessa seus pecados e a origem de sua misériaEm breve!
DS 04Sl 5.4-7A Justiça e a Misericórdia de Deus00:28:2726,3 MB09/10/2017
DS 05Sl 130Ao SENHOR pertence o perdão e a redençãoEm breve!
DS 061 Co 1.30,31O que nosso Mediador, que é homem justo e Deus verdadeiro, é para nósEm breve!
DS 071 Co 1.18-25Aprouve a Deus salvar os que creem pela loucura da pregaçãoEm breve!
DS 082 Co 13.13As Bênçãos do Deus Triúno00:35:1220,4 MB21/10/2017
DS 09Sl 33.1-9O Deus Criador do céu e da terra, deve ser louvado e temidoEm breve!
DS 10Sl 33.10-22O Deus Criador é também ProvedorEm breve!
DS 11-----Não preguei neste dia do Senhor---------------
DS 121 Pe 2.9,10Como Cristãos Temos Privilégios e ResponsabilidadesEm breve!
DS 131 Co 6.19,20O Senhorio de CristoEm breve!
DS 14Hb 2.10-13O Senhor Jesus Cristo Identificou-se Conosco para ser o Autor na nossa salvaçãoEm breve!
DS 15Hb 2.14-18A Obra de Cristo a Nosso FavorEm breve!
DS 16Jo 5.24Em Cristo, passamos da morte para a vidaEm breve!
DS 17-----Não preguei neste dia do Senhor---------------
DS 18At 1.1-11Cristo Subiu ao CéuEm breve!
DS 192 Tm 4.1Quando o Senhor Jesus Cristo voltar, Ele julgará os vivos e os mortosEm breve!
DS 20-----Não preguei neste dia do Senhor---------------
DS 21At 2.42-47Uma Igreja cheia do Espírito SantoEm breve!
DS 22-----Não preguei neste dia do Senhor---------------
DS 23Rm 5.1-5Os Frutos da Justificação Pela FéEm breve!
DS 24-----Não preguei neste dia do Senhor----------
DS 25-----Não preguei neste dia do Senhor---------------
DS 26-----Não preguei neste dia do Senhor---------------
DS 27At 22.12-16Sinal e Realidade no BatismoEm breve!
DS 281 Co 11.23-26A Instituição da Ceia do SenhorEm breve!
DS 29-----Não preguei neste dia do Senhor---------------
DS 30Hb 1.1-4A Presença de Cristo na Santa CeiaEm breve!
DS 31Jo 20.19-23As Chaves do ReinoEm breve!
DS 32-----Não preguei neste dia do Senhor [férias]---------------
DS 33-----Não preguei neste dia do Senhor [férias]---------------
DS 34-----Não preguei neste dia do Senhor [férias]---------------
DS 35-----Não preguei neste dia do Senhor [férias]---------------
DS 36Êx 20.7Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão00:42:3819,8 MB07/09/2017
DS 37Dt 10.20Só pelo SENHOR jurarásEm breve!
DS 38-----Não preguei neste dia do Senhor---------------
DS 39Êx 20.12Honra teu pai e tua mãe [Quinto Mandamento]01:00:4735,1 MB28/09/2017
DS 40Mt 5.21,22Não matarás [Sexto Mandamento00:37:4226,2 MB21/09/2017
DS 41Mt 5.27-30Não Adulterarás [Sétimo Mandamento]00:46:0731,904/10/2017
DS 42Ef 4.28Não Furtarás [Oitavo Mandamento]00:51:5324,0 MB10/10/2017
Compartilhe!
Pr. Elienai B. Batista

Elienai B. Batista

Verbi Dei Minister

Ministro da Palavra e dos Sacramentos atualmente trabalhando em um projeto missionário ligado ao Centro de Literatura Reformada (CLIRE), e na plantação de uma Igreja Reformada em Paulista – PE.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 16 outros assinantes

Pr. Elienai B. Batista

Ministro da Palavra e dos Sacramentos atualmente trabalhando em um projeto missionário ligado ao Centro de Literatura Reformada (CLIRE), e na plantação de uma Igreja Reformada em Paulista – PE.

Related posts
Leave a reply