Sobre

Este site tem como objetivo oferecer recursos, principalmente em áudio, sobre a fé, a cosmovisão e a piedade reformada.

Recent tags

Tito 1.6 [Pregação]

Tito 1.6 [Pregação]

Amada Igreja do Senhor Jesus Cristo,

Na última pregação desta série (1.5,6), procuramos resposta para a seguinte pergunta: O que é realmente importante para que uma igreja cresça e viva de modo saudável e bíblico?

Olhando para esses primeiros versículos da Epístola a Tito, chegamos à seguinte conclusão: uma igreja não pode crescer e viver de modo saudável, sem a fiel pregação do evangelho. Portanto, o crescimento de uma igreja, é proporcional à pregação que ela está ouvindo e aplicando à sua vida.

Quando Paulo escreveu a Tito, que se encontrava na ilha de Creta, completando o processo de plantação das igrejas ali existentes, esse fundamento, o evangelho, já havia sido posto. Mas como diz o apóstolo, Tito ainda precisa colocar “em ordem as coisas restantes”. Fizemos então outra pergunta: uma vez que o fundamento tenha sido posto, como foi no caso das igrejas em Creta, quais os próximos passos para que uma igreja cresça de forma bíblica e saudável?

A Epístola a Tito não nos oferece uma resposta sistemática e detalhada, mas nos oferece as respostas mais básicas a esse respeito. E a primeira que coisa que Paulo diz a Tito, no que diz repeito a colocar “em ordem as coisas restantes”, é esta: a igreja precisa constituir homens qualificados, como presbíteros, a fim de pastorearem o rebanho de Cristo. Juntando o que ouvimos, concluímos que se queremos crescer espiritualmente, precisamos não só de pregação fiel, mas também de pastoreio fiel.

No entanto, não se trata simplesmente de ter presbíteros que servirão como pastores da igreja. É preciso que os homens que servirão como o presbíteros na igreja, sejam homens biblicamente qualificados. O apóstolo resume as qualificações aqui apresentadas, dizendo que devem ser “irrepreensíveis”. Ou seja, um homem em cuja vida não há brechas, ou pontas soltas que lhe tornem digno de repreensão.

Agora para onde devemos olhar em primeiro lugar a fim de reconhecer se um homem é irrepreensível ou não? Ao olhar para o v.6, concluímos que devemos olhar para o seu lar. O texto nos diz: “marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados.”

O apóstolo como com essas qualificações, não por acaso. Isso quer destacar que em primeiro lugar, se requer do presbítero uma vida familiar exemplar. Portanto, a primeira escola para o treinamento de homens para os ofícios na igreja, é o lar. Se um homem não cumpre bem seu ofício como marido e pai, não pode servir como ministro da Palavra, presbítero ou diácono.

Mas quando pensamos no lar daqueles que podem servir como presbíteros ou diáconos na igreja, o que vem em primeiro? O texto nos diz: “marido de uma só mulher”. Eu espero que vocês possam perceber a ordem que encontramos aqui. Depois de já estarmos ouvindo a pregação do evangelho, o que vem primeiro para que possamos crescer de forma saudável e bíblica? Supervisão pastoral por meio de presbíteros qualificados. Para onde devemos olhar primeiro para ver as qualificações de um homem? Para o lar. E no lar por onde devemos começar? Por seu casamento.

O primeiro lugar em que um homem deve se demonstrar irrepreensível é o seu casamento. Por isso, lemos que ele deve ser “marido de uma só mulher”.

Essa é sem dúvida a qualificação mais discutida. Há um grande debate sobre o que esta expressão quer dizer. Há cinco posições que se destacam:

  • A primeira posição diz que aqueles que nunca se casaram estão excluídos dos ofícios;
  • A segunda posição diz que os polígamos estão excluídos dos ofícios;
  • A terceira posição diz que aqueles que se divorciaram e casaram de novo estão excluídos dos ofícios;
  • A quarta interpretação diz que aqueles que enviuvaram e se casaram de novo estão excluídos dos ofícios;
  • E uma quinta posição diz que aqueles que cometem pecado da infidelidade no casamento estão excluídos dos ofícios.

A respeito dessas posições podemos concluir o seguinte:

Em primeiro lugar, a expressão “marido de uma só mulher”, não significa que o homem deve ser obrigatoriamente casado para ser um presbítero ou diácono na igreja de Cristo. Há ênfase não está no fato de ser casado, mas no numeral “uma”. Deve ser “marido de uma só mulher”. No entanto, precisamos reconhecer que será muito mais difícil perceber as qualificações bíblicas aqui listadas na vida de um solteiro, e provavelmente teria de ser um solteiro cuja maturidade foi atestada ao longo dos anos na comunhão dos santos. Dizendo de outra forma, um solteiro que seja de fato um homem e não um menino. Deveria ser um homem irrepreensível na forma de lidar com mulheres. Um homem com muitos namoros, um homem solteiro, mas com fraquezas nessa área, não pode ser um oficial na igreja.

Em segundo lugar, os polígamos (casado com mais de uma mulher) de fato estão excluídos dos ofícios. Uma grande parte dos estudiosos entende que é sobre isso que o apóstolo está tratando aqui. No começo da igreja foi difícil lidar com essas questão. Homens recebiam o evangelho, tendo mais de uma esposa. Qual delas deveriam abandonar? Quais as consequências econômicas e sociais para uma mulher abandonada? Ao que parece, em um momento de transição, isso foi tolerada na igreja. Mas caso um homem tivesse de lidar com esse problema, ele não poderia ser um oficial na igreja, pois um oficial deve ser um exemplo também nesse particular. O modelo no qual as futuras gerações deveriam imitar, não poderia ser de um homem com mais de uma esposa.

Em terceiro lugar, é provável que os divorciados não possam ser oficiais na igreja. Pelo menos devemos admitir de pronto que em certos casos, dependendo de como o divórcio aconteceu, o homem não pode ser um oficial.

Em quarto lugar, a “marido de uma só mulher”, não significa que sendo viúvo um não pode se casar novamente (é marido, não diz que foi marido).

Em quinto lugar, aqueles que cometem o pecado da infidelidade no casamento estão de fato excluídos dos ofícios na igreja.

Ao olhar para essa expressão: “marido de uma só mulher”, devemos saber que no texto grego há uma ênfase no numeral “uma”. A ideia é que somente uma mulher está no coração e na mente do homem de Deus. O princípio geral, para nós é que o presbítero deve ser um homem fiel à sua esposa. Um homem que se torna repreensível nesta área, ou de moralidade inquestionável, não pode ser um presbítero.

Se um homem, sendo casado, não é capaz de amar e ser fiel à sua própria esposa, então ele não está apto para amar e ser fiel no cuidado do rebanho de Cristo.

No entanto, amados irmãos, este não é um requisito exclusivo àqueles que servirão nos ofícios na igreja. Na verdade é uma das marcas de uma masculinidade bíblica. Isso deveria ser dito a respeito de todos os homens da igreja, que cada um é “marido de uma só mulher”.

Cada homem cristão deve ter uma reputação a toda prova nessa área do sexo e do casamento. O que se requer aqui do homem de Deus é que ele seja devotado de corpo e mente somente à sua esposa. Ela não pode ter nada com outra mulher seja fisicamente, seja no coração. Note que não diz: não seja adúltero, a questão não é apresentada de forma negativa, mas positiva: “marido de uma só mulher”.

Portanto, como já observamos nesta manhã, a questão essencial é o coração (Mt 5.27-30). As implicações são de que o homem de Deus é dedicado à sua esposa, e tanto o seu comportamento público quanto particular, dão evidências dessa dedicação. Ele só tem olhos para ela, só tem espaço no coração e mente para ela. A exclusividade é para sua esposa nas esferas emocional, física e espiritual. As palavras e as atitudes do homem revelam isso. Essa característica do marido cristão aponta para Cristo a quem cada marido deve representar. Por isso, se lê em Efésios 5.25: “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja”.

Vivendo como um homem que reflete a imagem de Cristo, o homem cristão se torna um testemunho da fidelidade sexual em meio às trevas da imoralidade de nossos dias.

Mas também quero ressaltar que essa qualidade também inclui homens solteiros. Guardar o coração dos pecados contra o Sétimo Mandamento não é só para os casados. O homem solteiro deve guardar seu corpo e sua mente para aquele que será sua futura esposa. Para que possa dizer com toda sinceridade à sua futura esposa: meu coração nunca este preso a outra mulher. E saibam os solteiros que os hábitos estabelecidos na juventude influenciam muito a pureza moral após o casamento. Portanto, sejam cuidadosos, para não terem muitas mulheres em seu coração agora.

Portanto, que todos nós homens da igreja, casados ou solteiros, lembremos que caso Deus nos tenha chamado para o casamento, Ele nos chama a sermos maridos de uma só mulher.

Devemos estar cientes de que existem certos perigos e armadilhas para a infidelidade física ou do coração? E esses perigos devem ser tratados ou eliminados, como por exemplo: pecados e conflitos não tratados com a esposa. Imoralidade na TV ou na internet. Amizades na faculdade ou no trabalho (brincadeiras, etc);

O homem deve desenvolver certas disciplinas para que possa ser “marido de uma só mulher”. Disciplina no uso do entretenimento (horário, local, tempo, conteúdo). Disciplina na renovação da mente pela Palavra de Deus. Disciplina no trabalho, na amizade com outros homens para a prestação de contas;

E amada igreja do Senhor, lembremos que um homem para servir como presbítero ou como diácono na igreja, deve possuir esta qualificação. Essa é uma questão importante para nós começamos hoje um processo para a escolha de diáconos para servirem esta congregação.

Portanto, devemos procurar nos homens da igreja, essa qualificação. Mas de que forma podemos averiguar isso?

Observe se o homem que você pretende indicar para o ofício dá evidências claras se ser um homem dedicado exclusivamente a uma só mulher em todos os sentidos. Como o homem pode demonstrar dedicação à sua esposa? As conversas dele indicam isso? Ele trata sua esposa de forma amorosa e carinhosa? E mostra que sua esposa é uma alegria para ele? Isso também pode ser observado na forma como ele trata e fala de outras mulheres. Brincadeiras ou intimidades podem indicar um homem mulherengo. O homem que buscamos é um homem que ama sua esposa e lhe é fiel. E que portanto, trata as demais mulheres da congregação de uma forma respeitosa como irmãs em Cristo.

Agora devemos olhar para outra qualificação apresentada em nosso texto, e que ainda diz respeito ao lar. A Palavra de Deus nos diz que um homem para ser um oficial na igreja de Cristo deve ser um homem “que tenha filhos crentes que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados”.

Em primeiro precisamos notar que aqui não se exige que o presbítero ou diácono tenha filhos, mas que caso ele os tenha, deve ser observado a forma como ele governa e pastoreia seus filhos. O ensino aqui é que as primeiras ovelhas sob a responsabilidade de um homem, são sua esposa e filhos. Se ele é um mau pastor de sua casa, será um mau pastor na igreja de Cristo.

Aprendemos aqui que caso o presbítero ou diácono tenha filhos, eles devem ser crentes. O termo “crente” pode referir-se a fidelidade ou a fé. No entanto, os significados vão na mesma direção. A questão aqui não é a de que o pai vai forçar seus filhos à fé. Mas espera-se que seus filhos sejam crentes, como parte de seu pastoreio sobre eles. Ou seja, nossa atenção é chamada para o seguinte, este homem pastoreia seus filhos nutrindo-os com a palavra de Deus a fim de conduzi-los à fé no Senhor Jesus Cristo.

A supervisão, o pastoreio e o governo no lar são percebidos por meio da forma como os filhos vivem. Por isso, nos diz: “que tenha filhos crentes que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados”.

Dissolução” se refere a descontrole e desperdício. Geralmente tem relação com mau uso do tempo, problemas com bebidas, busca de prazeres, vivendo de forma extravagante. Esse termo aparece na parábola do filho pródigo, em Lucas 15.13: “Passados não muitos dias, o filho mais moço, ajuntando tudo o que era seu, partiu para uma terra distante e lá dissipou todos os seus bens, vivendo dissolutamente.”

E também em Efésios 5.18: “E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito”.

Aqui em Tito também se diz que os filhos do presbítero não devem ser insubordinados, ou seja, desobedientes.

Juntando o que se lê aqui, observamos que se o presbítero tiver filhos pequenos estes devem ser obedientes e nutridos com a Palavra de Deus, se tiver filhos jovens ou adultos, que estão sob seu cuidado, estes devem ser crentes, e não entregues a dissolução, isto é, não devem ser jovens ou adultos que gastam dinheiro com prazeres, vivendo de forma extravagante. Em suma os filhos do presbítero devem respeitar e obedecer seu pai. Isso nos ensina que a capacidade de liderar com humildade e de forma bíblica deve ser provada na forma como um homem conduz seus filhos e sua própria casa.

Um homem que não consegue governar bem a sua própria casa, poderá governar a igreja de Deus? Um homem não pastoreia, supervisiona e nutre com a Palavra de Deus seus próprios filhos não está apto para ser um dos pastores na igreja de Cristo. Um homem que não serve à sua própria família, como poderá servir como diácono na igreja de Cristo?

Mas amados irmãos, mais uma vez precisamos reconhecer que essas exigências não são exclusivas para presbíteros e diáconos. Se um homem tem filhos, o primeiro rebanho que lhe é entregue é este, e deve ter seu rebanho bem próximo de seus olhos.

O ensino bíblico é de que cada homem deve governar bem a sua própria casa. Conforme o ensino bíblico o governo do lar compreende “estar à frente, estar sobre, superintender, ser um protetor ou guardião, cuidar, dar atenção”.

Se você é casado esta é sua responsabilidade para com sua esposa, se você é pai, esta é sua responsabilidade para com seus filhos. Cada homem casado é o líder de sua casa, e isso, não se refere a algo que tenha de fazer, mas ao encargo que Deus lhe concede. Então você pode ser um líder fraco, infiel, passivo, medroso, negligente, mas não deixa de ser líder ao olhos de Deus. Você é o responsável pelo seu lar.

Quanto aos filhos pesa sobre cada homem supervisioná-los, instruí-los e nutri-los com a Palavra de Deus, cuidar e proteger, admoestar, e conduzi-los a Cristo. Você não pode salvar seus filhos, mas que você não seja acusado e repreendido por não instruir seus filhos ou por ser negligente na supervisão e governo do lar.

Agora que vamos escolher homens para o diaconato, mas uma vez devemos nos perguntar: porque sinais devemos procurar? O que evidencia que um homem possui essa qualificação?

Caso um homem possua filhos, devemos nos perguntar:

  • Se ele não tem filhos, podemos perguntar: porque não tem filhos? É por causa da Providência de Deus que o impediu, ou não tem porque está evitando. Se está evitando, ele apresenta razões bíblicas para fazê-lo?
  • Seus filhos lhe obedecem, se são submissos a ele?
  • Ele cumpre suas responsabilidades como pai, ou sempre delega suas responsabilidades a terceiros, inclusive à sua esposa?
  • Este homem nutre sua família com a Palavra de Deus.
  • Se não tem filhos, podemos observar se pastoreia sua esposa. Ele a nutre com a Palavra de Deus? Ora por ela? Como lida com as crianças na igreja?

Amados irmãos, ao exigir tais coisas dos presbíteros e diáconos, Cristo quer nos mostrar que é isso que ele espera de todos nós. Que sejamos bons mordomos em nossos próprios lares. Mas como podemos fazer? Em mesmo me considero um homem limitado e cheio de fraquezas, como posso ser um homem como Cristo ordena, não só porque sou ministro da palavra, mas porque sou homem redimido em Cristo?

Como podemos ser homens devotados a uma só mulher, a nossa esposa, como podemos governar bem nossa própria casa, e ter nossos filhos instruídos com a Palavra de Deus e vivendo em obediência?

Se confiarmos na nossa própria força e capacidade, falharemos. Contudo, em Cristo somos feitos novas criaturas, conforme a imagem do segundo Adão.

A masculinidade bíblica exige que tenhamos Cristo como modelo de esposo e como modelo de pastor e supervisor dos nossos filhos.

Em primeiro lugar Cristo nos ensina a liderar por meio do serviço humilde. Ser líder significa servir a todos que estão sob nossa liderança.

Em segundo lugar, Cristo nos ensina o sacrifício amoroso. Isso envolve a disposição de amar sacrificando-se a si mesmo. É pastorear sem pensar no benefício, mas com o objetivo de servir ao outro. Esse tipo de amor exige coragem, força disposição e desprendimento. Tudo isso é exemplificado em Cristo.

Portanto irmãos, o futuro dessa congregação, não só em termos de oficiais, mas também em termos do crescimento saudável e bíblico, não está vinculado e uma conferência ou a um grande evento anual. Mas ao seu trabalho, todos os dias do ano, servindo sua esposa e filhos por meio de liderá-los pela Palavra de Deus. Esse trabalho está ligado a seguirmos a Cristo, e sermos maridos e pais como Ele. É o trabalho do dia a dia, protegendo nosso casamento, resolvendo os problemas que nele surjam, ensinando nossa esposa e filhos, abrindo as Escrituras diariamente, orando e disciplinando com amor. Cada serviço prestado em seu lar, é como um tijolo que Deus usa para edificar sua igreja.

Alguns de vocês nunca se tornarão pastores (presbíteros) ou diáconos na igreja, mas em seu lar, vocês sempre serão pastores e diáconos. Não há como fugir. Então sejamos pastores e diáconos fiéis em Cristo Jesus.

Amém!

Local e data

Sermão pregado à Igreja Reformada em Paulista no culto vespertino do dia 1 de outubro de 2017.

Ficha Técnica

Conteúdo e voz: Elienai B. Batista.
Edição de áudio: Abner F. B. Batista.

Dúvidas

Caso você tenha alguma dúvida sobre a pregação, pode usar o nosso grupo no Facebook para fazer sua pergunta. Porém, só responderei quando me for possível. Para isso, clique aqui e peça acesso ao grupo, escreva sua pergunta e link meu nome dentro do grupo. Quando puder responderei.

TextoLeituraTítuloDuraçãoTamanhoData
Tito 1.1Tito 1.1-4Deus promove a fé dos seus eleitos por meio do ministério da Palavra00:47:4222,2 MB06/09/2017
Tito 1.2-4Tito 1.1-4A Esperança da Vida Eterna00:54:1825,3 MB11/09/2017
Tito 1.5-6Tito 1.5-9Colocando as Coisas em Ordem00:35:0332,5 MB13/10/2017
Tito 1.6Tito 1.1-9O Homem de Deus e o Seu Lar00:44:2130,9 MB16/10/2017
Tito 1.7Tito 1.1-9O que o homem de Deus não deve ser00:56:0751,8 MB17/10/2017
Tito 1.8Tito 1.1-16O que o homem de Deus deve ser20/10/2017
Tito 1.9Tito 1.1-16O homem de Deus e seu apego à palavra fiel
Compartilhe!
Pr. Elienai B. Batista

Elienai B. Batista

Verbi Dei Minister

Ministro da Palavra e dos Sacramentos atualmente trabalhando em um projeto missionário ligado ao Centro de Literatura Reformada (CLIRE), e na plantação de uma Igreja Reformada em Paulista – PE.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 10 outros assinantes

Pr. Elienai B. Batista

Ministro da Palavra e dos Sacramentos atualmente trabalhando em um projeto missionário ligado ao Centro de Literatura Reformada (CLIRE), e na plantação de uma Igreja Reformada em Paulista – PE.

Related posts
Leave a reply